Pesquise sobre Imigração Canadá

Pesquisa personalizada

École de français québécois

sábado, 20 de dezembro de 2014

Estágio no hospital em Ville de Québec - Enfermagem Equivalência

Alou alou minha genteeeeeeee!!! Ontem acabou a primeira fase do estágio no hospital aqui em Ville (no Cégep Limoilou). Vou contar a vcs como foram essas 3 semanas de estágio heeheheheh.

No meu grupo tinham 6 alunos comigo, 3 de Camarões, 2 do Haiti e euzinha do Brasil.... A gente se encontrou às 13:30 na entrada principal do Hospital pra encontrar a nossa supervisora. Todos estávamos de fardinha ... rsrsrs ... aquela roupinha coloridinha que eles usam aqui, tipo aquela que a gente usa no centro cirúrgico, mas a gente só podia usar azul ou branca. Como eu sou uma porquinha, eu só usei a azul mesmo hahahahah. Então quase não dormi nesse dia, um nervoso horrível, me senti a estudante na época de faculdade em meu primeiro dia de estágio clínico, ahhh inferno viu ?hahahah. 

Gente, eu estava de verdade muito nervosa, dor de barriga, taquicardia, uma suadeira, um vexame haaahahh. Então a supervisora chegou e ela nos levou pra uma sala lá mesmo no hospital pra gente poder conversar e ela falar um pouco do hospital, o que nós iríamos ver, o que fazer, mostrar os documentos do hospital, tipo de clientela , bla bla bla e lógico aquela velha breve apresentação que até se vc vai no cinema, mercado, posto de gasolina o povo daque pergunta: Seu nome, de onde vc vem, onde vc trabalhou e quantos anos de experiência.... haahahah Já falava automático isso, nao é possível uma coisa dessa ... sempreeee eles perguntam, é te conhecer pimba, la vem a desgrama das perguntas hahahaha.... sim, continuando...

Após nos apresentarmos, conhecermos um pouco do que íamos fazer, ela nos levou para mostrar o andar onde a gente iria ficar, o setor, Clínica cirúrgica, muitos pacientes quase a maioria portadores de cancêr, principalmente intestinal e gástrico... Muitaaaaaa coisa eu aprendi, muitaaaaaa coisa eu vi nova, muitaaaaa experiência boa lá....

Então esse dia ficamos apenas conversando, falando dos procedimentos do hospital, dos planos de cuidados , bla, bla, bla... foi ótimo pq tirou um pouco o estresse que a gente estava e a supervisora se mostrou uma ótima pessoa... cheguei em casa umas 10:30 da noite nesse dia.


Segundo dia à 14:30 a bagaça começou, eitaaaaaaaa..... nervosoooo dos infernossssss.... Já fomos direto pro andar... lá tem uma salinda para os estudantes com livros, materiais, computadores, cadeiras, tudo pra gente se reunir e praticar... Nesse primeiro contato ela nos coloca de 2 em 2,  um paciente para cada dupla ... Fiquei com minha coleguinha do Haiti. Ela entrega um plano de cuidados (PLAN DE SOINS) que todos os pacientes tem com todas as informaçoes dele, tipo uma ficha computadorizada, uma ótima forma de conhecer nosso paciente antes e de lá a gente tirava as coisas mais importantes pra preparar os nossos cuidados daquele dia... Então, ela pediu que a gente escrevesse em um papel quais seriam os nossos cuidaos com aquele paciente, o que era mais importante fazer, o que nós devíamos vigiar, quais os procedimentos com aquele paciente ... enquanto a gente ia dizendo ela ia jogando as perguntas em cima do que a gente falava. 


Ex: eu tinha que avaliar os sinais neurovasculares de um paciente de tanto em tanto tempo, ela me perguntava como eu avaliava os sinais neurovasculares dele, como era a técnica e pq eu tinha que fazer isso com essse paciente. Eu tinha que heparinizar o catéter central do paciente, ela me perguntava pq e como era a técnica, se meu paciente tinha uma colostomia ela me perguntava qual o ensinamento que eu tinha que dar ao meu paciente se ele recebesse alta e fosse pra casa com a colostomia, se meu paciente fosse diabético o que eu devia observar, quais os sinais e sintomas de uma hipo ou hyperglicemia se uma das duas acontecessem o que eu faria... e por ai ia... era o tempo todo assim, questionamentos e mais questionamentos...

Esse era o documento que a gente recebia o PLAN DE SOINS com todas as informaçoes do paciente: 




Mini farmácia
Quando chegava na parte de medicação ela perguntava pq o paciente estava tomando aquela medicação, quais seriam os efeitos indesejados que eu devia vigiar após tomada, como preparava a medicação, qual seringa, qual agulha, qual diluição.... se era uma medicação SC quais os locais que eu podia dar e qual seria a primeira escolha, pq e qual a única indicação de não poder dar na primeira escolha e fora a técnica que vc tinha que explicar... Se era uma glicemia, qual era a sequência certa pra misturar as insulinas e a técnica de preparo. Se o paciente estivesse tomando um soro glicosado e a gente tinha uma medicação tal hora pra administrar na bomba, ela perguntava se era compatível com o soro, se a gente podia dar sem parar o gotejamento do soro. Isso tudo a gente fazia dentro da mini farmácia que eles tem no andar onde tem os balcões com todos os materiais perto pra gente preparar todas as medicações.... 


Depois disso ela ia com a gente pro quarto ver como a gente iria se apresentar pro paciente, o que a gente ia perguntar, quais exames a gente ia fazer, como a gente ia fazer, o que a gente ia avaliar, observar, consertar.... Lembrem que essa zorra toda em francês hahahahah Oh meu Deus viu?? E ai quando a gente saia do quarto tome mais pergunta na cabeça... Pq o paciente esta de tal forma, tem algio que vc observou que precisa ser informado a enfermeira? Tem algo que vc avaliou que nao está no padrao? Cale-se, cale-se vc me deixa loucaaaaaa hahahaahah!!!

Depois a gente ia pegar o prontuário do paciente pra poder preparar as medicações dos horários, a gente pegava as medicações que estavam no armário do paciente que é dentro do quarto mesmo e colocava em uma bandeijinha pra ela conferir se era a dose certa, paciente certo e hora certa, a gente so podia administrar depois que ela via e ela ia com a gente verificar a administracão. 

Os comprimido vem prontos
nos saquinhos p/ cada
paciente
Aqui os pacientes, pelo menos lá, perguntam o tempo todo, que medicacão é essa e pra que serve, então vc tinha que chegar com tudo na ponta da língua rsrsrsrs. Tinha uma paciente minha que estava tomando uma medicação que é para quem tem hiperplasia benigna da próstata ... a mardita da supervisora veio me perguntar pq essa paciente, MULHER, estava tomando uma medicação pra prostata??? Que diabo e eu sei lá? ahahahhaha ela não tem próstata hahahaah... Ai disse a ela que não sabia mas que ia procurar no livro, corri pegeui o livro de medicamentos, procurei, procurei e nada... mas que peste é que essa mulher ta tomando isso? ai disse a ela que não tinha encontrado no livro e que nao sabia, crente e abafando que ela ia me dizer... Ela olha pra mim e diz.. Vc não vai encontrar isso no livro, só na internet, amanhã vc me dá a resposta... Oh desgrama e pq nao me disse antes que eu fosse procurar no livro??? um??? rsrsrssr

Depois de todos os cuidados, sinais vitais, mudança de posição, verificação de dieta, administração de medicação a gente ia pra sala fazer a nossa evolução, na verdade aqui é preencher o PSTI e fazer a anotação, O PSTI tem todos os cuidados a gente só faz checar colocando nossas iniciais se a gente fez... Ex: Observar sinais de Hipoglicemia, Fazer curativo em tal lugar, heparinizar catéter central... Ai tinha as horas do lado, vc circulava a hora e colocava sua inicial do lado dizendo que vc fez aquele cuidado.

PSTI:




Ai é que vinha a bateria de pergunta, pq vc já conhecia seu paciente, vc passou o dia todo com ele. Quando dava 9h da noite a gente se juntava na sala pra ser metralhado ahahahahahah. Seu paciente está com temperatura tal o que vc fez? pq vc nao fez tal coisa? vc tem certeza disso que vc está falando? o que vc faria? vc tem certeza? E tome lhe encostar na parede.... Ex: Meu paciente tinha uma hemocultura pra fazer, ele estava com febre e o médico suspeitava do catéter central... Então lá, vai eu me preparar pra colher o material e lá vem ela me perguntar: Oniraci, vc vai colher o material de onde? Eu disse, vou colher do braço ... Mas ela não pára ! rsrsrsrs Seu paciente está todo edemasiado,  provavelmente o catéter central seja por conta disso. Aí, eu disse a ela que iria tentar mesmo assim no braço, pois teria que colher de dois lugares diferentes e se não conseguisse periférico, ia colher central. Aí ela disse, ok então. De qualquer forma vc vai colher no central, pois o segundo lugar será lá ... Qual a técnica nos dois locais? Periférico e central? Quais os tubos que vc usa e qual a ordem correta pra colocar o material em cada tubo e pq? Minha gente que é isso??? hhahahaah Lá vai eu.. Vou pegar um tubo anaeróbico e aeróbico, colocarei o sangue primeiro no aeróbico pq o  catéter vai ter ar dentro e, já no segundo, vai estar coberto pelo sangue e não terá ar ... Ai pergunta a técnica asséptica e em qual a via do catéter central eu vou colher, o proximal ou o distal? Oxente e não acabou essa tortura não foi?? hahaahah ... Eu explico a técnica e pego pelo proximal ... E vc irriga o catéter central antes de colher? Eu digo que não, pois o médico quer justamente saber se existe infecção no catéter e se eu irrigar estarei "empurrando" o motivo da infecção pra dentro ... Ufaaa escapei por pouco ... hahahah, depois de estar já pedindo penico hahahahahahahahahahaah ... ( sim consegui puncionar o paciente no braço, gritava igual a criança: "Consegui, consegui, uhuuuuuuuu...!!! " E a supervisora e o paciente rindo de mim naquele estado hahahahaha ) ...

Folha de passagem de plantão
E assim foram todos os dias.... pergunta em cima de pergunta. Na segunda semana a gente já estava cada um sozinho com o seu paciente... A gente tinha que achar qual era a enfermeira responsável pelo seu paciente e receber o Rapport e depois passar o seu pra ela no fim do plantão, tipo a passagem de plantão mesmo e qualquer compicacão ou informação importante vc tinha que informar rapidamente a sua enfermeira e a sua supervisora...

Com o passar dos dias, vc se sentia mais segura e com maior autonomia ... A medida que sua supervisora  fosse confiando em vc, ela ia te deixando mais tempo sozinha... A única coisa que a gente não podia fazer de jeito nenhum, era administrar uma medicação sem que ela conferisse a dose e a hora... As vezes eu ficava correndo atrás dela pra ela verificar a minha pq ela fazia isso com os 6 e todos com medicacões ao mesmo horário....



Eu amei de verdade, essa primeira etapa foi muito rica pra mim, aprendi muita coisa nova e renovei muita coisa que achava que já sabia. Aprendi muito sobre medicação... Uma coisa ainda um pouco chata pra mim eh mexer nessas bombas daqui, não consigo gravar rsrsrsrs, são bem diferentes das nossas. A clientela nesse hospital é realmente de idosos, muitas pessoas idosas, raramente vc via uma pessoa mais jovem, o mais novo que peguei tinha 68 anos... O Ambiente é o mesmo, residentes médicos, enfermeiras, pessoas da higienização, os maqueiros... tudo igual rsrssrsr. Vc sente que existe um pouco de preconceito com quem chega de outro país, não pelos pacientes, mas pelos nossos futuros colegas mesmo, até o momento em que vc consegue provar com o tempo que elas podem confiar um pouco no seu julgamento clínico... Mas isso é algo que a gente também precisa entender e compreender, se não fica difícil pra gente a cada dia.. 



A minha supervisora é um amor, uma pessoa super paciente e carinhosa, nunca fez a gente se sentir inferior, sempre de igual pra igual, varias vezes  ouvia ela dizer às outras enfermeiras: "Eles já são enfermeiros, estão apenas fazendo uma adaptação aqui ..." Muito segura e muito compreensiva, ensinava mesmo com muita calma, as vezes a gente saía de lá às 11:30 da noite pq ela ficava fazendo a evolução junto com a gente, dizendo como escrever, como não escrever... Um amor, aprendi muito com ela, com sua humildade e segurança... Mesmo com tantas perguntas ela nunca se demostrou autoritária ou superior, sempre uma verdadeira professora.... E com certeza foi isso que me fez me sentir mais segura e confiante com o passar do dia, pois sabia que ela estava lá.


Então gente, essa foi minha primeira experiência no hospital. Volto agora dia 5 de janeiro pra a segunda etapa dos estágios e depois acaba pra realmente tentar começar minha luta do primeiro emprego como CEPI (Candidata a exercício da profissõo de Enfermeiro) e depois me descabelar para a prova, o juízo final !! hahahaha 


FOTOS:













DOCUMENTOS:



FADM- Folha de
medicação
Folha pra fazer o balan










Bomba de infusão

Bomba de infusão




Aparelho pra fazer
os sinais vitais
Armario dentro do quarto do paciente
coma as medicaçoes.
Aparelho pra ensinar o paciente pos operatório 
a fazer os exercícios respiratórios 


O post ficou enorme, com tantas fotos e informações... mas nao  podia deixar vcs sem essas fotinhas. Espero que tenha matado a curiosidade de muita gente em saber um pouco de como é o estágio aqui. heheehehhe. 4 dos meus colegas passaram, infelizmente um terá que repetir... Mas quem sabe isso não será melhor.... E que venha agora janeiro para a Segunda fase de estágio!!!! hehehehehe beijinhossss fufucossss :)

Oniraci

sábado, 13 de dezembro de 2014

Nosso Diagnóstico de Enfermagem / PTI - Plan Thérapeutique Infirmier- Enfermagem equivalência

Hoje resolvi falar desse inferno de PTI rssrrsrs. Eu detestava fazer a droga do diagnóstico de enfermagem, lembra da zorra do NANDA?? Risco de.... bla bla bla e monta plano de cuidado.... Ahhh vou lhe dizer , um inferno isso... Me desculpem quem acha que isso servia pra alguma coisa, um documento sem sentido, onde só o Enfermeiro via, pra que? Servia pra que mesmo???? Me larguem viu? Servia pra tomar o tempo da gente escrevendo essa desgrama, quando podíamos estar cuidando melhor dos pacientes. No Brasil eu tinha 20 pacientes no andar e tinha que fazer essa porcaria pra cada um.... Saco... Pra que?????? Me digammmmmmmm??? Minha gente, se ninguém via!! Nem mesmo as nossas colegas ... Se viam era pra uma copiar da outra o que colocou como  diagnóstico haahahahha.. E ainda tinha que saber como escrever, pq vc não podia escrever qualquer coisa não... Tinha que ser como estava la no NANDA, maldita veia que inventou isso, com certeza não tinha o que fazer... hahahahah!. 


Mas bem, achei que ia me livrar, eis que surge o PTI na minha vida aqui!!! Oh meu pai viu??? Eu detesto esse PTI, é igualzinho o nosso diagnóstico, a mesma misera ... pior que ainda o bicho é mais complicado, quando vc acha que tem que colocar risco, é sintoma, quando é sintoma é risco... Ahhh me deixeeeee rsrsrs. Então resolvi fazer um post sobre isso, já que la no estágio batem demais nessa tecla, PTI, PTI, PTI.... unffff.

No site da ordem vc vai encotrar vários documentos falando dele, no Cégep vc tem aulas sobre ele, no estágio vc tem aulas e trabalhos sobre ele, quando vc vai no banheiro, quando vc come, quando vc dorme ahahahah ... em tudo você encontra ele hahahaahha brincadeira rsrsrsrs. Entao juntei alguns documetos que tenho dos cursos e do site da ordem pra mostrar a vcs um pouquindo de como é esse PTI. Assim, vcs vão logo se familiarizando com ele.






Página do livro diagnostics infirmiers/
bem parecido com o nosso NANDA























Fiz um resumo pra vcs entenderem um pouco o PTI, vamos lá:

Em  1 abril de 2009 pra proteção da população o conselho adiministrativo da OIIQ adotou o PTI como uma "aplicacão"obrigatoria um documento obrigatório nos cuidados de enfermagem.

Ele é ajustado pela enfermeira à partir de sua avaliação clínica e começa então a fazer parte dos documentos(legais) do dossier do paciente.

 O PTI apresenta o perfil clínico evolutivo dos problemas e necessidades do paciente, assim como as ações de enfermagem assegurando a continuação dos cuidados clínicos do paciente ( vigilância, tratamentos, cuidados, avaliação, ajustamento etc..)
  1. Pra quem devemos fazer um PTI? Para todos os pacientes.
  2. Quem escreve no PTI? Quem é responsável? A Enfermeira
  3. Quem executa as açoes do PTI? Enfermeira, Auxiliar e PAB
Então a Enfermeira define qual o problema e necessidades do paciente e, partir de sua avaliação clínica, ela vai julgar o que é importante estabelecer como perfil clínico evolutivo do paciente e vai assegurar que esse cuidado seja contínuo.
  1. Qual o problema prioritário?
  2. Existuiu alguma mudança clínica?
  3. Resolução do problema
  4. Existiu a satisfação da necessidade do paciente?
Exemplo: 

Paciente internou por dor em membro inferior direito ( uma úlcera venosa) 

Problema ou necessidade prioritária / Problème ou besoin prioritaire: 
1- Dor em MID/ Douleur MID
2- Ulcera Venosa MID / Ulcère veineux MID

Ações de enfermagem / Directives Infermière:
2- Aplicar o plano de tratamento de ferida a cada 3 dias/ Appliquer plan de traitement de la plaie (abreviação de chaque) 3 jours.
2- Avaliar a feria toda segunda pela enfermeira/ évaluer la plaie q lundi par inf.
2- Avisar a enfermeira se: fluido atravesar o curativo, temperatura >37,8 [ ação realizada pelo PAB]/ Aviser inf. si écoulement traverse le pansement, T>37,8 [+ Dir.p.trav.PAB].

* PAB :Préposé aux bénéficiaires
* [Dir.p.trav.PAB] : Directive plan travail PAB














Então, a cada mudança de estado clínico, a enfermeira pode ajustar o PTI incluindo o novo estado clínico. Nessa situação, poderia aparecer depois de 5 dias no hospital uma infecção na ferida, ai então colocaríamos mais um problema e mais açãoes/ directives de enfermagem o que seria o número 3. Assim como se um ploblema for solucionado ela tbm ajusta o PTI colocando a data e hora que o problema foi solucionado..


Pra mim ainda é um pouco chatinho isso, pq vc tem que saber alguns termos, principalmente pra formar a frase das açoes, pq se vc pede pra O PAB avisar tal coisa, vc tem que especificar que coisa... Tipo: sinais e sintomas de hipoglicemia: tremores, sudorese, confusão mental.... Tem os suivis standards tbm que eu tenho que conhece-los... suivi standard de apendicectomia... bla bla bla...

Espero que tenha ajudado a entender um pouco desse PTI - Plan Thérapeutique Infirmier, e espero achar que ele serve mesmo pra alguma coisa la na frente quando realmente eu estiver praticando bem ele... rsrsrsrs. Pq alem dele, tem o PSTI (Plan de soins et de traitements infirmiers) que ai é outra conversa hahahahaha  ... Esse sim vale a pena fazer e serve pra alguma coisa rssrsrsr ( e que tem os cuidados de enfermagem que todos devem seguir) mas é pra outro post.

Encontrei no site da ordem uns vídeos, ah nao sei como chamar isso nao haahahha, mas é com audio rsrsrs explicando como fazer o PTI dando várias situações clínicas. É muito legal, pra quem quer ir treinando o francês e tbm já conhecendo um pouco desse mardito PTI( cai bastante na prova da OIIQ)


Encontrei também no site da OIIQ um guia com alguns casos clínicos pra a gente praticar o PTI como na prova da OIIQ e com respostas no final: