Pesquise sobre Imigração Canadá

Pesquisa personalizada

École de français québécois

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Educação Parte II - Garderie - Filhos em Ville de Quebec

Conforme combinamos com vocês, vamos escrever um pouco sobre a saga da Garderie para o meu filho menor de 4 anos.
Todos que estão se arrumando para vir para Québec deve saber que o sistema de ensino público começa quando a criança completa 5 anos no dia 30 de setembro. Ou seja, se vier com um filho menor e precisar sair pra estudar ou trabalhar vai ter que arranjar uma Garderie (espécie de escolinha que existe em algumas modalidades - Centre de la petite enfance CPE, Garde en milieu familial - Meio familiar, ou tipo creche pequena). Todas você precisará pagar um valor por dia útil.
 
Os valores variam de 7 dólares a  50 dólares por dia, podendo a chegar a valores superiores. Estas de 7 dólares por dia são como sonho para os pais desesperados para deixar seus filhos...  Além de serem uma mão na roda pelo preço, são Garderies subvencionadas pelo Governo (por isto esse preço), e por isso, o mais importante, são constantemente avaliadas e visitadas pelo Governo de Quebec. Essas Garderies precisam de autorização para funcionar e cumprir diversos requisitos. Ou seja, além de pagar menos vc fica um pouco menos preocupado. Claro que sempre estaremos em pânico no início.
Quando você chega em Quebec tudo é muito novo para os adultos, imagine para as crianças. Mas não há o que se preocupar tanto. Eles são realmente mais flexíveis que nós adultos. Percebi nesse um mês de Garderie que ele faz mais manha porque estamos por perto do que por estar triste ou com medo.
 
Assim que chegamos organizamos documentos e nos ajeitamos em nossa nova casa. O menor passou por um certo desconforto nos primeiros dias. Acredito que este choque começou desde o Brasil. Logo que começamos a nos desfazer de nossas coisas ele ficou  meio confuso e desnorteado. A casa vazia, seu quarto sendo desfeito, mudamos para a casa de minha irmã, depois vimos que ele estava bem estressado e resolvemos pegar um apartamento por 20 dias mobiliado, bem pequeno para economizar, mas para que ele ficasse bem a vontade e tranquilo. Realmente foi uma ótima idéia da esposa porque ele mudou para melhor nestes dias que antecederam a viagem.
 
Fizemos uma viagem longa e durante o voo mais longo ele passou muito mal. Ficou com os lábios pálidos, enjoado, tonto, vomitando e ficamos muito, mas muito tensos, queríamos que aquela viagem acabasse logo e que chegássemos em terra firme. Foram horas que pareciam não acabar. Dava pra ver que 95% daquilo era psicológico e ele estava sentindo um pouco a mudança. Fomos a viagem inteira acalmando ele e dando colo. Quando demos um pouco de sal e depois açúcar para ele, ele foi reanimando e os lábios corando.
 
Graças a Deus terminou e chegamos em Toronto. Com os poucos minutos de alfândega e imigração conseguimos colocar ele no chão firme, demos um tempinho e ele ficou melhor.
Assim que chegamos em Quebec a casa estava relativamente arrumada graças à uma grande amiga que mora aqui há um bom tempo e ajudou muito com a compra de móveis e eletrodomésticos usados antes de chegarmos (Rebeca !!!). Mas assim que entramos ele foi reconhecendo o lugar e se adaptando aos poucos. Chegou a chorar e abraçar a mãe pedindo para voltar para casa e pedindo para voltar para a casa de vovó. Minha esposa segurou o choro e quase entrega os pontos de tanta preocupação.
 
Mas percebi que tinha uma coisa muito errada e que eu tinha lido. A casa dele deveria parecer uma casa e ainda não parecia. Faltava copos, pratos, talheres, o quartinho deles estava somente as camas , sem colchões, sem os brinquedinhos dele e com malas pelo chão.
 
Aproveitamos que nosso grande irmão Ale tinha alugado um carro grande pra nos buscar no Aeroporto e exploramos a boa vontade dele. Saímos no mesmo dia e compramos colchões novos.  Eu pagaria tudo que tinha na mão para ver ele melhor. Compramos alguns brinquedinhos, fomos no Dollarama e compramos as coisas de casa, fizemos mercado, compramos roupa de cama e coisinhas para deixar tudo com cara de lar. Dito e certo. Ele se sentiu mais seguro, viu a cama dos pais bem gostosa com edredom e deitou no meio da gente e se acalmou muito. No outro dia estava bem feliz e pintando o sete como de costume.

E nos dias seguintes ele estava bem melhor. Amando a cidade, os shoppings, as novidades. UFA !! Graças a Deus !! Fiz essa breve introdução para mostrar como foi nossa chegada com ele e para mostrar que não tinha nem como pensar em Garderie, documento e escola nessa hora. rsrssrs

Depois de resolver a inscrição do mais velho na escola secundária se passaram duas semanas e como tínhamos muita coisa pra resolver e conhecer, pensamos que era hora dele ter contato com as outras crianças e o francês.
 
Fomos atrás do site que mostra as vagas de Garderie disponíveis. Garderies de 7 dólares são muito difíceis !! Me disseram: "Vai ser impossível você achar de 7 dólares!!!", "Você não vai conseguir uma de 7 dólares, vai ter que colocar o nome na lista e esperar !!". Pois bem, na terça-feira uma amiga também muito especial, Severa, entrou no site www.magarderie.com e disse que tinha achado, entramos e realmente achamos uma ! Você coloca seu endereço e ele apresenta as vagas da mais próxima até a mais distante. Apresenta as de 7 dólares e todas as outras. Esqueci de mencionar que se você encontrar uma mais cara, o Governo reembolsa essa diferença ! O problema é desembolsar 40 dólares por dia durante uns 2 a 3 meses (tempo de espera para ser reembolsado) e esperar o dinheiro de volta ! Além do mais, as subvencionadas são fiscalizadas pelo Governo ! Continuando... entrei no site e encontrei uma vaga 1.3 Km de casa... ligamos na terça e ela disse: Tem vaga !!!
 
Ligamos e marcamos uma visita para o dia seguinte.
 
Fui na Garderie e era uma Garderie em Meio Familiar (Garde en milieu familial). A mulher falava rápido, uma Quebecoise apressada, agoniada e tinha uma casa enorme. No andar inferior ela adaptou e fez um grande espaço de brincadeiras, de estudo e para eles interagirem. Em cima eles almoçavam e tiravam o soninho deles depois do almoço ( eles chamam de Dodo).
 
Aceitamos e dissemos que  queríamos a vaga. Nesse momento ela faz um pequeno contrato estabelecendo o prazo, valores e os horários, dados da criança e da Garderie. Você assina e leva no Bureau que fiscaliza aquela Garderie, Centre de la Petite Enfance les Petits Mulots. Fui lá com o contrato, nevando e tinha que correr ou perderia a vaga ! Essas vagas são como tesouro ! Chegando lá apresentei os documentos que eles exigiam para autorizar o benefício de pagar apenas 7 dólares. Certidão de Nascimento da criança, Cartes de Residente Permanente dos pais e da criança e o contrato. Na hora da Carte de Residente Permanente a mulher não aceitou porque era uma cópia conforme feita pelo Centre multiethnique de Québec, órgão importantíssimo que ajuda os imigrantes com informações, palestras, fazendo "Cópias autenticadas conforme" e preenchendo todos os formulários para as bolsas e ajudas. Pois bem, ela não aceitou o documento. Pedi pelo amor de Deus que deixasse eu buscar em casa. Ela disse... volte antes de 15 horas. Sai correndo !!! O ponto era muito longe ! Andei muito com o vento gelado e neve na cara... claro que era uma neve fraca, mas pra quem não tinha costume ainda...
 
Sai correndo, peguei o ônibus, fui e desci do ônibus as 14:45 e tinha que andar muito... ou seja, corri ! Cheguei lá fechando e consegui ! Acreditem ! Conseguimos uma Garderie de 7 dólares com duas semanas em Québec e em dois dias desde a procura até fechar !
No primeiro dia na Garderie ele ficou meio escabriado, assustado sem entender e foi porque embaixo da casa era novidade e ele queria brincar. Olhou pra gente e disse... não vai embora, fica ai !! Aí dissemos que não podia adulto ! Ele ficou com medo, mas mesmo assim foi...
 
Terminou o primeiro dia tudo bem ! No segundo ele foi também, resistindo mas foi... no final reclamou e chorou, disse que não queria dormir... Ele nunca dormiu depois do almoço e a Gardienne já nos chamou e disse: Ele precisa dormir! No dia seguinte foi mais difícil... ele não queria mais ir... ficamos preocupados. Em casa comecei a pensar, ficamos conversando... ai decidimos pesquisar. Entrei no site da MaGarderie de novo só por curiosidade e achei uma vaga ... mais perto de casa... olhei pra ela, ela olhou pra mim e eu disse pra minha esposa... vou lá amanhã para conhecer.
 
Mesmo sem marcar (aqui tudo tem que marcar horário), sai cedo de casa e fui lá ... andando... andei, andei.. andei... cheguei na casa e bati na porta. Nada ! Telefonei ... disse: Estou aqui na porta e queria saber sobre a vaga. Ela disse: Entre pela porta lateral, estamos aqui...
 
Entrei e vi que era um casal de idosos. Ela muito simpática, carinhosa e dava vontade de abraçar. Ele um senhor muito tranquilo e bem humorado. Percebi que as crianças eram mais livres, mais alegres, brincavam muito, tinha uma música de fundo, eles pintavam com tinta na mesa arrumadinhos... pensei... aqui Arthur vai ser mais feliz! Sem saber como fazia para transferir disse: Quero a vaga como faço ???? Ela me orientou a fazer o mesmo... quando disse que ele estava em outra ela me pediu que fosse no Escritório novamente ... fui lá e a responsável me explicou que eu tinha que fazer a rescisão mas que eu teria que pagar apenas 10% do contrato ou no máximo 50 dólares.
 
Pedi que reservassem a vaga e sai correndo para a casa da maluca ansiosa... cheguei lá e falei com ela... ela se chateou, reclamou, disse que ele era feliz lá, falou mal das outras Garderies e não aceitava ... eu disse que tinha que mudar porque ela não funcionava nas segundas e eu precisava estudar (verdade!) e ela aceitou... Me meteu a faca cobrando 78 dólares de multa... falei que queria o recibo ! Ela ficou com medo, pediu para que eu não dissesse no Escritório e tal... eu disse, quero meu recibo ! Ela me deu o recibo e rescindi tudo numa boa e consegui inscrever ele na outra !
 
Hoje ele tem um mês nessa nova Garderie, amando e chama ela de Vovó !!! hahahahhahaha... Está aprendendo o francês. Na Garderie tem uma criança surda-muda e ele está aprendendo o francês e ao mesmo tempo a língua dos sinais.
 
Ele está amando... brinca muito, aprende, já está aprendendo a dormir depois do almoço, come bem, brinca na neve com pá e trenó, jogam na parte de fora da casa... é uma farra !!
 
No Brasil não temos o costume e nem confiamos nossos filhos à outras pessoas... mas aqui é normal e funciona super bem ! Ficamos com muito medo no começo, mas depois percebemos que tínhamos que entrar na dança e fomos acreditando... deu tudo certo e hoje ele está se adaptando bem. Vai feliz, acorda feliz e volta feliz... brinca e não chora mais para ir para a Garderie. Ano que vem ele estará na escola primária e já estará com um francês bom para se comunicar na escola !
 
É isso aí pessoal ! Espero que tenham gostado e que esse post ajude muita gente !
Confiem e não tenham medo ! Esse país é maravilhoso !!!

Sigam nosso canal no Youtube: Oniraci e Eduardo no Quebec
Eduardo & Oniraci


 
Primeiro dia na Garderie de Arthur
 
 
 
Chegando na segunda Garderie de Arthur...